ZIKA VÍRUS

Postado em: 05/02/2016

Em 11 de novembro de 2015 o Ministério da Saúde declarou Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional pelo número de 739 ocorrências de casos de crianças com microcefalias no Brasil, em 9 estados brasileiros (487 em Pernambuco, 54 em Sergipe, 47 no Rio Grande do Norte, 96 na Paraíba, 27 no Piauí, 10 em Alagoas, 1 em Goiás, 8 na Bahia e 9 no Ceará). Há ainda casos em investigação em outros estados.

O Serviço de Controle de Infecção Hospitalar e a Gerência Médica do Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) esclarece:

O que é febre por Vírus Zika?

É um vírus transmitido pela picada do mesmo mosquito transmissor da Dengue e da Febre Chikungunya, o Aedes aegypti.

Aedes aegyptiComo é transmitida?

Pela picada de mosquitos Aedes aegypti; após um período de incubação de cerca de 03 a 12 dias (período entre a picada do mosquito e o início dos sintomas), o paciente poderá apresentar os primeiros sinais e sintomas.


Quais são os principais sinais e sintomas?

Manchas vermelhas na pele com coceira, febre baixa, olhos vermelhos (sem coceira ou secreção), inflamação ou dor nas articulações, dor nos músculos, dor de cabeça e nas costas. Com menos frequência pode ocorrer dor retro-orbital (atrás dos olhos), falta de apetite, vômitos, diarreia ou dor abdominal. Em alguns casos, a infecção pode ser totalmente assintomática e durar de 4 a 7 dias.

Existe exame de sangue para o diagnóstico de confirmação do Zika Vírus?

Sim, o diagnóstico definitivo pode ser feito em sangue até 5 dias após o início dos sintomas e na urina até 8 dias. No entanto, outras doenças, como a Dengue, por serem mais frequentes e com sintomas semelhantes devem ser pesquisadas antes mesmo do Zika Vírus. Além disso, em relação as gestantes, outras doenças como: citomegalovírus, rubéola, toxoplasmose, parvovírus e sífilis, com sinais e sintomas semelhantes, também devem ser pesquisadas e descartadas devido ao risco de microcefalia fetal.

É importante salientar que o diagnóstico de confirmação não muda a conduta médica em situações de urgência e emergência, ou seja, não há outros exames específicos ou medicamentos a serem realizados a partir da confirmação.

Qual o tratamento?

Repouso, ingestão de líquidos e uso de paracetamol para febre ou dor. No caso de coceira na pele, podemos utilizar antialérgicos (anti-histamínicos). Não recomendamos o uso de ácido acetilsalicílico e anti-inflamatórios.

Quais são as medidas de prevenção e controle?

São relacionadas a eliminação de criadouros do mosquito transmissor. Não existe vacina e nem antivirais específicos para eliminar o vírus Zika.

• Proteja-se das picadas dos insetos;

• Evite horários e lugares com presença de mosquitos;

• Utilize roupas que protejam partes expostas do corpo, telas de proteção e mosquiteiros;

• Utilize repelentes: consulte o site da ANVISA que lista quais os produtos têm registro no Ministério da Saúde e os que podem ser utilizados em crianças e gestantes;

• Repelentes naturais, como citronela, não têm eficácia comprovada.

O que é microcefalia?

É a criança nascida com crânio considerado pequeno, após diagnóstico médico baseado na medida do perímetro cefálico.

Já há confirmação que o aumento de casos de microcefalia no Brasil é causado pelo Zika Vírus?

Sim, o Ministério da Saúde confirmou em 28/11/2015 a relação entre o Zika Vírus e o surto de microcefalia no Nordeste.

Quais as causas de microcefalia? Somente o Zika Vírus causa?

Não, existem causas genéticas e ambientais que podem levar à microcefalia.

Causa genética: ex. na Síndrome de Down.

Causa ambiental: uso de drogas, álcool, produtos químicos na gravidez, desnutrição grave na gestação, infecções do sistema nervoso central no período pré, peri ou pós-natal (ex. rubéola congênita na gravidez, toxoplasmose congênita na gravidez e infecção congênita por citomegalovírus).

A microcefalia pode ser detectada no pré-natal?

Sim, as gestantes deverão manter toda rotina do pré-natal, além de verificar a medida do perímetro cefálico do feto no exame de ultrassom.

Qual o tratamento para microcefalia?

O recém-nascido deverá ser acompanhado por pediatra e neurologista, assim como ter apoio de uma equipe multidisciplinar de fisioterapeutas, fonoaudiólogos e terapeutas ocupacionais sempre que possível. Apesar de não haver medicamento específico, a atuação destes profissionais poderá melhorar o desenvolvimento da criança.

Qual período da gestação é mais suscetível à ação do vírus?

Provavelmente são os três primeiros meses, devido a formação dos principais órgãos, inclusive o cérebro. No entanto, os cuidados devem ser os mesmos durante toda a gestação.

Quais as recomendações para as gestantes neste momento?

• Adotar medidas que reduzem a transmissão do mosquito como eliminar criadouros;

• Fazer pré-natal;

• Não consumir bebidas alcoólicas ou drogas;

• Não utilizar medicamentos controlados sem orientação médica;

• Comunicar qualquer alteração no estado de saúde.


Compartilhe: