TDAH: saiba o que é, os sintomas e formas de tratamento

Postado em: 29/12/2014

Reconhecido oficialmente por vários países e pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um distúrbio neurobiológico que afeta hoje milhares de pessoas no Brasil e em todo o mundo. A Dra. Soraya Canasiro, médica psiquiatra do Hospital Nipo-Brasileiro (HNB), explica na entrevista a seguir, de forma clara e didática, o que é, os sintomas e as formas mais adequadas de tratamento.

O que é o TDAH?
Dra. Soraya Canasiro: O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade/Impulsividade (TDAH) é um transtorno neuropsiquiátrico, de início na infância, causa dificuldades e prejuízos na vida acadêmica, familiar, profissional e social do indivíduo. Crônico na maioria dos casos (mais de 60%), podendo persistir por toda a vida.

Quais são os principais sintomas e ou características do TDAH?
Dra. Soraya Canasiro: O TDAH se caracteriza por uma combinação de dois grupos de sintomas:
- desatenção
- hiperatividade e impulsividade

Existem três (3) subtipos de TDAH:
Forma predominantemente desatenta, quando existem mais sintomas de desatenção, é a forma mais comum na população em geral.

Forma predominantemente hiperativa/impulsiva, quando existem mais sintomas de hiperatividade e impulsividade.

Forma combinada, quando existem muitos sintomas de desatenção, hiperatividade e impulsividade.

O conjunto de sintomas do TDAH são também os mesmos dos portadores do espectro do Autismo?
Dra. Soraya Canasiro: São dois transtornos distintos, contudo algumas crianças autistas podem também apresentar sintomas de TDAH.

Como se diagnostica um portador do TDAH?
Dra. Soraya Canasiro: Os sintomas de TDAH podem manifestar-se desde uma idade precoce. Para concluir o diagnóstico é necessário:
- que os sintomas estejam presentes desde cedo (antes dos 7 a 12 anos).

- que causem problemas em pelo menos dois contextos diferentes, por exemplo, casa e escola.

- que esses sintomas atrapalhem claramente a vida do indivíduo, seja na escola, em casa, na profissão ou no relacionamento com os demais.

- que os sintomas não sejam explicados por um outro problema.

O diagnóstico é clinico, deve ser feito por um médico, uma vez que existe a necessidade muito comum de se utilizar medicamentos.

Quais as características do diagnóstico em adultos?
Dra. Soraya Canasiro: Os sintomas são iguais aos das crianças e adolescentes, sendo que retrospectivamente, através de anamnese detalhada e bem feita, podemos constatar que a sintomatologia encontra-se presente desde a infância. Geralmente a hiperatividade tende a diminuir a partir da adolescência.
Em geral, os sintomas são basicamente os mesmos, expressando-se de forma parecida nas diferentes etapas da vida.

No caso de adultos, qual a diferença de tratamento em relação a crianças/adolescentes?
Dra. Soraya Canasiro: O tratamento é multidisciplinar independente da faixa etária, de acordo com as dificuldades apresentadas.
Com relação ao tratamento psiquiátrico, o uso de medicamentos, orientação e acompanhamento clínico da melhora dos sintomas e a monitorização dos efeitos colaterais.

Quais os tratamentos mais apropriados para esses portadores?
Dra. Soraya Canasiro: Deve-se compreender as dificuldades e habilidades de cada paciente e individualizar o tratamento conforme as suas necessidades e dificuldades.

Em termos de inclusão social e laboral, como combater as restrições em relação aos portadores?
Dra. Soraya Canasiro: Através da conscientização dos familiares e dos profissionais da escola.

Em caso de tratamento terapêutico, quais são os mais indicados? Existem formas de tratamento não farmacológico para esses portadores do TDAH?
Dra. Soraya Canasiro: O planejamento terapêutico é feito de acordo com uma avaliação médica cuidadosa e minuciosa, exames complementares, avaliação neuropsicológica, psicodiagnóstico e, quando necessário, pode ser solicitado avaliação fonoaudiológica, psicopedagógica e outras, de acordo com as dificuldades e comorbidades apresentadas pelo paciente.
É fundamental salientar que o tratamento do TDAH é multidisciplinar, uma equipe integrada de diferentes profissionais que cuida do paciente (médico, psicólogo, psicopedagogo e fonoaudiólogo) pode ser necessário em alguns casos.

Crianças portadoras de TDAH em fase escolar exigem escolas especializadas?
Dra. Soraya Canasiro: Não necessariamente, porém, a coordenação pedagógica e os professores devem estar cientes das limitações dessas crianças e ajudar a potencializar as suas habilidades e utilizar estratégias na sala de aula que ajudem a minimizar as dificuldades relacionadas aos sintomas.

Em caso afirmativo ou não, que recomendações serão úteis aos pais para um suporte adequado aos portadores?
Dra. Soraya Canasiro: Compreensão sobre o transtorno, buscar orientações com profissionais da área, indicações de livros, associações ou sites especializados para que conheçam melhor sobre o transtorno.
Orientações, incluindo aconselhamento sobre a forma de se lidar com o transtorno e integração e orientação com a escola.

O HNB dispõe de equipe multidisciplinar especializada para atendimento dos portadores de TDAH? Como o Hospital Nipo-Brasileiro presta atendimento aos portadores do TDAH?
Dra. Soraya Canasiro: Atualmente dispomos de psiquiatras, neuropediatras, psicólogos e fonoaudiólogos.

O uso de antidepressivos e ansiolíticos pode criar dependência para os portadores de TDAH?
Dra. Soraya Canasiro: De maneira geral, os medicamentos de primeira escolha indicados para o TDAH são seguros, eficazes e bem tolerados, se utilizados em doses apropriadas, prescritos e acompanhados por um médico, não tem chances significativas de causar dependência.

São aprovados pelo FDA e ANVISA para uso a partir de 6 anos de idade. Antidepressivos e ansiolíticos somente serão indicados se houver presença de outros transtornos comórbidos diagnosticados, de acordo com avaliação médica.


Compartilhe: