PIODERMA GANGRENOSO - GRAVE COMPLICAÇÃO DA CIRURGIA PLÁSTICA DA MAMA

Postado em: 20/07/2016

Pioderma gangrenoso (PG) é uma dermatose neutrofílica rara caracterizada por um processo de necrose após lesão na pele, muitas vezes recorrente. Com uma etiologia incerta dificulta o diagnóstico apresentando lesões cutâneas ulceradas e dolorosas, múltiplas ou solitárias, que podem ser associadas a doenças inflamatórias intestinais.

De acordo com o Dr. Julio Soncini, trata-se de uma doença rara que soma de 3 a 10 casos ao ano por milhão de pessoas, podendo se manifestar em qualquer idade, sendo mais comum entre 25 e 54 anos; frequentemente as mulheres são mais afetadas. Brusting a descreveu pela primeira vez em 1930, ressaltando a ausência de caráter infeccioso.

Um possível diagnóstico para uma doença devastadora como o PG poderia estar associado a doenças sistêmicas, ou seja, aquelas que afetam nosso organismo causando prejuízos em diversos aspectos. As doenças sistêmicas possuem mecanismos autoimunes conhecidos, podendo ocorrer o fenômeno da PATERGIA, isto é, o desenvolvimento de uma nova lesão inflamatória alterada e incontrolável na área afetada, necessitando, assim, evitar  estímulos como desbridamento(remoção de tecidos desvitalizados, necrose da ferida) ou curativos agressivos.

CASO CLÍNICO

Registrado no Hospital Nipo-Brasileiro, o caso em questão se refere a paciente de 19 anos que se submeteu a mamoplastia com inclusão de prótese de silicone de 240 ml sob anestesia geral. Quatro dias após da cirurgia, a paciente apresentou a ferida operatória ulcerada, que evoluiu para uma extensa necrose, sendo, então, encaminhada para a UTI para controle clínico.

Transcorridos oito dias, a paciente foi submetida ao desbridamento e retirada da prótese, sendo suturada com um material menos reativo a respostas inflamatórias, o fio inabsorvível de nylon.

Dois dias após a reoperação, ficou evidente o processo de necrose e a significativa perda cutânea que recobre as mamas. Julio Soncini lembra que não havia crescimento de bactérias ou fungos, diagnostico confirmado após a realização de biópsias de vários locais da ferida e culturas das secreções. Na microscopia, temos  intensa presença de células neutrfílicas (Polimorfonucleares) com provável anormalidade em suas funções de quimiotaxia e hiper-responsividade.

No décimo quarto dia, a paciente se submeteu a um tratamento com corticoide sistêmico, conforme orientação da equipe médica do HNB, e introdução do VAC (Vaccum Assisted Closure), isto é, terapia de curativos baseada na aspiração contínua. Foram aplicadas quatro sessões de VAC com espuma hidrofóbica de álcool polivinílico. Após a quinta troca, foi possível notar o início da cicatrização entre os tecidos glandular e muscular. Procuramos então dar pontos de aproximação entre a glândula e o musculo visando diminuir a ferida operatória , montar o cone mamário e reposicionar o Complexo Aréolo Papilar “, explica o médico.

Julio Soncini afirma que o PG é uma doença neutrofílica de caráter não infeccioso que devemos fazer o diagnóstico precoce como condição para o sucesso do tratamento. “neste caso específico, o tratamento visava induzir o retrocesso da ferida, prevenir uma infecção secundária, controlar a secreção da ferida, promover a cicatrização e minimizar a cicatriz resultante”.

De acordo com a literatura médica, 80% dos casos semelhantes foram concluídos em dois anos sem a utilização do VAC; o caso em questão foi resolvido em cinco meses devido a associação do tratamento com corticoide e a VAC terapia.

Agora, a paciente está sendo assistida de perto com auxílio de vários especialistas como dermatologia, imunologia, infectologia e cirurgia plástica. “Importante salientar que foi de extrema importância o fato de estarmos amparados por uma instituição de grande porte como o Hospital Nipo-Brasileiro, onde pudemos utilizar todos os recursos humanos e equipamentos necessários, que muito contribuíram para o sucesso do tratamento. O entrosamento entre a equipe médica, enfermagem, fisioterapia do hospital, a paciente e a família faz parte do relacionamento médico-paciente, que deverá ser mantido devido `a gravidade da lesão, finaliza.


Compartilhe: