Infertilidade: esclareça as principais dúvidas

Postado em: 17/01/2017

Por Raissa Lira

“Cerca de 15% a 20% de casais sofrem de infertilidade. Sabemos que aproximadamente 30% das causas são femininas, 30% são masculinas e em 30% dos casos ambos os fatores estão presentes. Ainda restam 10% sem motivos conhecidos, também chamada de Infertilidade Sem Causa Aparente (ISCA) ”, a explicação é do Coordenador do Setor de Reprodução Humana e Endoscopia Ginecológica do Hospital Nipo-Brasileiro (HNB), Dr. Teiichi Ninomiya, que esclarece abaixo as principais dúvidas sobre a doença.

O que é infertilidade?
Dr. Teiichi Ninomiya:
É a manifestação de uma doença do trato reprodutivo masculino ou feminino que impede a concepção, após um ano de tentativa, mantendo relações sexuais sem o uso de métodos contraceptivos.

Quais os principais problemas de fertilidade das mulheres?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Disfunções na ovulação (fator ovulatório), endometriose, alterações nas tubas uterinas (fator tubário) e no útero (fator uterino).

A idade interfere na fertilidade feminina?
Dr. Teiichi Ninomiya: A reserva dos óvulos da mulher se estabelece antes dela nascer e reduz ao longo da vida. Além da perda na quantidade, há também perda na qualidade dos óvulos, o que leva a uma menor chance de engravidar. Os óvulos, ao contrário dos espermatozoides, não se multiplicam. De modo geral, há mais chances de engravidar antes dos 35 anos.

Problemas de fertilidade feminina são hereditários?

Dr. Teiichi Ninomiya: Geralmente não, mas podem apresentar hereditariedade para endometriose, síndrome dos ovários policísticos, miomas e falência ovariana prematura que podem causar infertilidade.

Após quanto tempo de tentativas para engravidar, a mulher deve buscar orientação médica?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Após um ano de tentativas e se tiver 35 ou mais, este período dever ser de seis meses.

Quais são os procedimentos para diagnosticar a infertilidade feminina?
Dosagens hormonais e a história menstrual: para avaliação da ovulação.
Histerossalpingografia: raio x contrastado, que faz a avalição da cavidade uterina e das tubas uterinas.
Ultrassonografia transvaginal: avaliar a possibilidade de realizar o diagnóstico de: mioma, cistos ovarianos, endometriose, malformação uterina, pólipo endometrial.
Ressonância magnética pélvica: pode realizar a investigação das mesmas patologias realizadas pela ultrassonografia, mas especialmente na investigação da endometriose.
Ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal: também para investigação da endometriose.
Videolaparoscopia: é um procedimento cirúrgico realizado com anestesia geral, em que podemos avaliar a cavidade abdominal através de uma microcâmera introduzida no abdômen por meio de uma incisão mínima na região do umbigo.  Podemos realizar o diagnóstico e o tratamento da endometriose, miomas, gravidez ectópica, malformações uterinas e verificar a permeabilidade tubária. A cirurgia é realizada, geralmente com 2 punções perto da virilha (região inguinal), sem corte no abdome, sob visão da microcâmera. É considerada cirurgia minimamente invasiva e tem recuperação pós-operatória mais rápida.
Vídeo-Histeroscopia: da mesma maneira que a laparoscopia, é realizada com microcâmera, pode-se realizar a histeroscopia diagnóstica e a cirúrgica. Neste procedimento, podemos retirar mioma, pólipos endometriais da cavidade uterina e corrigir malformações uterinas, como em um útero septado.

Quais são os principais problemas de infertilidade masculina?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Varicocele, processos infecciosos, exposição a toxinas, obstrução de ductos de transporte e fatores genéticos.

Como é realizado o diagnóstico da infertilidade masculina?
Dr. Teiichi Ninomiya:
O principal exame é o espermograma, que deve ser realizado após abstinência sexual de 2 a 7 dias e, idealmente, repetido com intervalo de 15 a 30 dias. Este exame avalia, principalmente, o volume do sêmen, a concentração, a motilidade, a morfologia e a presença de inflamação.
A ultrassonografia da bolsa escrotal, juntamente com o exame físico, para avaliação da varicocele.

O que é varicocele?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Varicocele é a dilatação das veias do plexo pampiniforme, como varizes das veias que trazem o sangue do testículo.

A caxumba pode influir na fertilidade masculina?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Sim, a infecção pode atingir não só a glândula parótida, mas também os testículos, causando a orquite (infecção dos testículos) e até atrofia.

O que é a inseminação artificial? Qual a chance de gravidez?
Dr. Teiichi Ninomiya:
A inseminação artificial consiste na colocação dos espermatozoides preparados e concentrado no interior da cavidade uterina, no momento da ovulação. A taxa de sucesso depende muito das causas envolvidas, mas de maneira geral temos uma taxa que varia de 15 a 20%.

O que é fertilização in vitro? Qual a taxa de sucesso?
Dr. Teiichi Ninomiya:
A fertilização in vitro (FIV) ou “bebê de proveta” é uma técnica de reprodução assistida em que retiramos os óvulos das pacientes que foram hiperestimulados com medicamentos e realizamos a fertilização no laboratório para a formação dos embriões que após alguns dias são transferidos para o útero. A taxa de sucesso depende de vários fatores, sendo o principal a qualidade dos óvulos, que está diretamente relacionado com a idade da paciente. Com uma boa qualidade ovular temos de 40 a 50 % de sucesso por tentativa.

O que é ICSI? Qual a taxa de sucesso?
Dr. Teiichi Ninomiya:
ICSI é a injeção intracitoplasmática de espermatozoide, isto é, injetamos o espermatozoide no interior do óvulo por micromanipulação. Desta maneira buscamos aumentar as chances de fertilização. A taxa de sucesso da ICSI é semelhante às da fertilização in vitro.

Quando a ICSI está indicada?
Dr. Teiichi Ninomiya:
A ICSI é indicada, principalmente, em casos de alterações seminais importantes, porém muitas vezes é utilizada para “garantir” uma melhor fertilização dos óvulos.

Quando indicamos a utilização dos óvulos doados?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Indicamos para as mulheres que não conseguem produzi-los ou quando a qualidade ovular esteja ruim a ponto de não gerar uma gestação saudável.

Criopreservação de Esperma e Óvulos: como é feito o tratamento para preservação da fertilidade?
Dr. Teiichi Ninomiya:
Utilizado para a preservação da fertilidade da mulher o congelamento de óvulos pode ser feito em diversas situações, desde o adiamento da maternidade por motivos pessoais, até em casos de tratamentos oncológicos, que podem causar danos irreversíveis aos ovários. Os óvulos habitualmente são obtidos por estimulação hormonal. A estimulação ovariana é realizada em cerca de 10 dias com injeções diárias de gonadotrofinas a partir dos três primeiros dias do ciclo menstrual. Em seguida, os óvulos são coletados e criopreservados (congelados). O congelamento de espermatozoides tem as seguintes indicações: pacientes que farão uma vasectomia, que passarão por tratamento oncológico ou que estarão ausentes quando a mulher fizer a fertilização in vitro. A coleta do espermatozoide é feita na clínica por masturbação, biópsia ou microdissecção testicular. O esperma é tratado em laboratório e preservado em Nitrogênio líquido, a -196ºC.

Quais são os riscos das técnicas de reprodução humana?
Dr. Teiichi Ninomiya:
O principal é a gestação múltipla, pois, como os tratamentos envolvem a indução da ovulação, aumenta-se a chance de múltiplos óvulos e, consequentemente, múltiplos embriões. Outro fator é a Síndrome de Hiperestimulação Ovariana, que consiste em uma resposta exagerada às medicações usadas na indução da ovulação. No entanto, muito se tem feito para amenizar este risco. É válido ressaltar que a chance de gestação múltipla é menor do que a chance de gestação única.

(Foto: Raissa Lira)

Dr. Teiichi Ninomiya é médico ginecologista formado pela Faculdade de Medicina da USP, especializado em Reprodução Humana, Laparoscopia e Histeroscopia; Coordenador do Setor de Reprodução Humana e Endoscopia Ginecológica do Hospital Nipo-Brasileiro desde 1999 e diretor clínico do consultório Nipofert.


Compartilhe: