HNB é novo multiplicador do Programa Brasileiro de Segurança do Paciente

Postado em: 14/07/2013

Como um reconhecimento dos esforços multiplicadores desenvolvidos na implantação de programas de qualidade total em sua rotina de atendimento, o Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) recebeu um convite formulado pelo IQG - Instituto Qualisa de Gestão, um dos mais prestigiados institutos de acreditação do país, para integrar a Câmara Técnica do Programa Brasileiro de Segurança do Paciente (PBSP).

A Coordenadora de Qualidade do HNB, Tatiana Lima, esclarece que o PBSP, é um programa permanente, progressivo e de estrutura piramidal e descentralizada, integrada por um número crescente de hospitais, uma Câmara Técnica e uma Câmara Estratégica, que são os órgãos consultores, representativos e de gestão do programa, com o suporte de uma rede de parcerias estratégicas nacionais e internacionais, que tem como objetivo consolidar o movimento e viabilizar suas intervenções.

PROTOCOLOS

O Programa Brasileiro de Segurança do Paciente, atualmente com 87 hospitais integrantes e 14 multiplicadores, conta com o apoio e colaboração de diversos centros nacionais e internacionais que compartilham a segurança do paciente como prioridade estratégica. Nesse sentido, merecem destaque o IHI - Institute For Healthcare Improvement, o Conselho Mundial de Qualidade, o ISQUA – International Society for Quality in Health Care, o CPSI – Canadian Patient Safety Institute; e o Patient Safety Crosswalk. 

Orientada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e gerenciada globalmente pelos órgãos de acreditação, a segurança dos pacientes transformou-se num dos principais indicadores de qualidade e eficiência no segmento médico-hospitalar. 

A implantação de protocolos assistenciais asseguram as boas práticas de atendimento. (Divulgação)

Como um dos 14 hospitais que integram hoje a rede de multiplicadores do PBSP, o Hospital Nipo-Brasileiro servirá de modelo e referência para a integração de outras instituições brasileiras no programa e contribuir para a implantação dos protocolos assistenciais e das boas práticas universais de atendimento capazes de permitir a salvação de 50 mil vidas e evitar 150 mil danos em pacientes hospitalares.

 

 

 


Compartilhe: