HNB destaca importância da campanha Novembro Azul

Postado em: 30/11/2014

A exemplo do que ocorreu na campanha mundial do Outubro Rosa, dedicada à conscientização da mulher no combate ao câncer de mama, o Hospital Nipo-Brasileiro (HNB) se engajou também decisivamente no movimento global do Novembro Azul, que promove o combate ao câncer de próstata, através do incentivo aos homens para a realização preventiva do exame.

Dados recentes do Instituto Nacional do Câncer (INCA) revelam que o câncer de próstata é hoje o segundo tipo mais comum entre os homens brasileiros, ficando atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

Considerado uma referência no atendimento desse tipo de doença, o HNB atende mensalmente cerca de 600 pacientes com problemas de ordem urológica, como cálculo renal, infecção urinária, impotência sexual, disfunção erétil, tumores de bexiga, rins e, em sua maioria, patologias de próstata.

Segundo o coordenador do setor de urologia do Hospital, Dr. Oswaldo Koga, cerca de 0,3% dessas ocorrências referem-se a câncer de próstata, cujo diagnóstico e tratamento conta hoje com recursos cada vez mais eficientes e precisos que vem contribuindo para a redução significativa das graves estatísticas mundiais e, em especial, do Brasil.

Qualificado informalmente como um câncer da chamada Terceira Idade, pois cerca de três quartos dos casos ocorrem a partir dos 65 anos, esse tipo de tumor é o sexto mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total de ocorrências.

A estimativa do INCA é que o Brasil encerre 2014 com um número superior a 60 mil novos casos de próstata diagnosticados.
Além das estatísticas nada alentadoras, o Dr. Koga aponta fatores de ordem cultural como, por exemplo, o machismo, que atual contra um combate mais efetivo do câncer de próstata, um inimigo silencioso dos homens que se desenvolve de forma lenta, gradual e assintomática, a partir dos 40 anos de idade.  Segundo ele, devido a esse tipo de comportamento, 70% dos pacientes não fazem exames preventivos do câncer de próstata, por receio do toque prostático.

Reiterando recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS), Dr. Koga esclarece que a partir dos 40 anos de idade, todos os homens deveriam se submeter a um check-up de próstata contemplando, idealmente, exames de toque e de sangue (PSA). Segundo ele, só um exame completo permite um diagnóstico mais preciso de cada paciente, pois, pelas estatísticas atuais, de cada seis (6) homens, um deles apresentará problemas de próstata.

Prevenção

O especialista do Hospital Nipo-Brasileiro enfatiza que por razões ainda não totalmente esclarecidas, os homens da raça negra apresentam uma maior tendência ao desenvolvimento do câncer de próstata. Porém, independente da origem étnica, quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de cura do paciente.

Adicionalmente, Dr. Koga informa que pesquisas recentes estabelecem profunda relação com a genética familiar, indicando que homens com pai ou irmãos que já tiveram a doença, têm três vezes mais chance de desenvolver o tumor. Paralelamente, outros estudos têm associado o significativo crescimento dos problemas de próstata aos hábitos alimentares e estilo de vida do homem contemporâneo como, por exemplo, consumo excessivo de carne vermelha, embutidos, gordura animal, álcool, stress, vida sedentária, etc.

Destacando a grande importância da campanha Novembro Azul no processo de mudança de comportamento do homem brasileiro, Dr. Koga destaca o avanço do conhecimento médico especializado e das novas tecnologias desenvolvidas tanto no campo diagnóstico quanto cirúrgico para o tratamento das disfunções de próstata.

 

(Foto: Raissa Lira)

 


Compartilhe: